You are currently viewing Rinite sinusite e bronquite: entenda as diferenças das doenças respiratórias<span class="wtr-time-wrap after-title">Tempo estimado de leitura: <span class="wtr-time-number">7</span> minutos</span>

Rinite sinusite e bronquite: entenda as diferenças das doenças respiratóriasTempo estimado de leitura: 7 minutos

As temperaturas começaram a cair e o tempo começou a ficar mais seco, anunciando a chegada do outono. Quem é alérgico ou é mãe de criança alérgica já liga o alerta: foi dada a largada à temporada das “ites”

Rinite sinusite e bronquite… Apesar de comuns, principalmente nessa época do ano, muita gente ainda tem dúvidas sobre as diferenças entre essas doenças do trato respiratório.

Eu já dei aqui algumas dicas para lidar com a imunidade e melhorar o conforto respiratório das crianças no inverno, mas acredito que quando sabemos exatamente a fundo com o que estamos lidando, fica mais fácil entender e aderir aos tratamentos e diferentes formas de prevenção. 

Por isso, hoje vou explicar para vocês quais são as principais diferenças entre rinite sinusite e bronquite.  Confira a seguir!

Veja quais são as principais diferenças existentes entre rinite sinusite e bronquite

Todas essas doenças são causadas por um agente físico, da poluição ao pólen das flores. Quando esse agente estranho entra em contato com alguma mucosa (pele que reveste partes internas do corpo), o organismo aciona mecanismos de defesa que podem resultar em uma inflamação, e aí se configura a doença. A asma é um pouco diferente e já falei sobre asma infantil nesse post aqui.

A diferença é a região do corpo que cada uma afeta. Tudo o que termina em “ite” significa uma inflamação, e o resto do nome indica o local atingido.

Rinite (Rino + ite)

Rino – prefixo grego, rhis, rhinos significa nariz. Ou seja, é uma doença inflamatória no nariz. Afeta a mucosa da região nasal, que leva a sintomas como obstrução nasal, coriza, espirros e coceira interna, além do aumento da produção de muco na região nasal. 

Por conta da estrutura dos ossos da face, tudo se conecta. Nariz, garganta, olhos e ouvidos tem uma comunicação. É por isso que em crises de rinite, também é comum que haja coceira, vermelhidão e lacrimejamento nos olhos, coceira no ouvido e no fundo da garganta. 

A rinite pode ser provocada por diversos fatores. Quando ocorre na forma alérgica, a forma mais comum, o contato com poeira, pelos de animais e ácaros aumentam o risco da enfermidade. A rinite também pode ser um sintoma de uma infecção viral: quando temos crises ou resfriado, o vírus causa uma inflamação na mucosa nasal, causando os espirros e coriza tão famosos dessas condições. 

Para tratar a inflamação, a melhor maneira é prevenir as causas da doença. No caso das rinites alérgicas, o ideal é o controle e limpeza do ambiente e lavagem nasal, para ajudar a retirar qualquer agente externo que esteja causando inflamação no nariz. Em casos crônicos o médico pode prescrever antialérgicos e remédio tópico, geralmente na forma de spray.

Sinusite (Sinus + ite)

O prefixo Sinus significa seio, cavidade, espaço oco. Isso significa que a sinusite é uma inflamação da mucosa dos seios da face. Ela pode ser gerada por bactérias, vírus e também por quadros de rinite.

Com a imagem abaixo fica mais fácil de entender: temos alguns buraquinhos no rosto, na região abaixo dos olhos e na testa. Esses buraquinhos são conhecidos como seios da face. 

rinite sinusite e bronquite
Imagem: Canva

Lembram que eu falei que tudo no rosto é conectado? Quando temos uma crise de rinite, por exemplo, com muita produção de muco, se a gente não colocar esse muco para fora com lavagem nasal ou assoando o nariz, esse muco, que está sendo produzido em excesso, vai se acumular nesses seios da face. 

Esse acúmulo de muco nos seios da face causa dor de cabeça, obstrução do nariz, diminuição do paladar e olfato, secreção espessa e uma sensação de pressão na face que pode irradiar para os dentes. A lavagem nasal com soro é aliada importantíssima no tratamento da sinusite. As inalações, também com soro, podem facilitar a saída da secreção dos seios da face. O médico também pode receitar descongestionantes e antiinflamatórios a depender do caso.

Um ponto de atenção! Essa região é quente, úmida e escura: ambiente perfeito para a proliferação de bactérias. Portanto, sem tratamento ela pode evoluir para uma infecção bacteriana e, aos sintomas que eu citei, podemos adicionar a febre. Nesse caso é necessário o uso de antibiótico para tratamento. 

Mas não é só bactéria que pode infectar os seios da face, da mesma forma que alguns vírs podem causar inflamação na região nasal, eles podem causar essa inflamação nos seios da face e aumentar a produção de muco no local. O objetivo do tratamento nesse caso é aliviar sintomas e evitar que essa sinusite evolua para uma infecção bacteriana, então o principal alvo tem que ser tirar esse excesso de muco de dentro desses buraquinhos. Dá-lhe lavagem nasal! 

O quadro pode aparecer em qualquer momento da vida, porém, é mais frequente quando ocorrem mudanças bruscas de temperatura e tempo com baixa umidade relativa do ar. O tabagismo ativo e passivo, assim como as partículas no ar devido à poluição, também favorecem a inflamação.

Há, ainda, alterações de anatomia do interior do nariz como desvio do septo nasal, pólipos e o aumento das conchas nasais (que são conhecidas como carnes esponjosas) que aumentam a predisposição da sinusite.

Bronquite (Brônquio + ite)

Brônquios são os tubos dentro dos nossos pulmões que conduzem o ar da traquéia até os alvéolos. Portanto, a bronquite é uma doença inflamatória dos brônquios do pulmão de caráter viral ou bacteriano. 

rinite sinusite e bronquite

É importante não confundir com a asma, que também é uma condição respiratória, mas que provoca sintomas diferentes e é desencadeada por um processo alérgico.

Na bronquite aguda, o paciente apresenta muito catarro, tosse, peito cheio e são as crianças as mais afetadas. Ela também é mais comum quando ocorrem quedas severas de temperaturas.

Quando o quadro é viral, o recomendado são remédios para febre, nebulizações, fisioterapia respiratória e muita ingestão de líquido. Quando o quadro é bacteriano, o recomendado é antibiótico.

Prevenindo as doenças respiratórias

Citei ao longo de cada uma das condições como preveni-las individualmente. No geral, quando a causa for alérgica é necessário diminuir o contato com o causador da alergia. 

Mas você percebeu que tiveram tratamentos que se repetiram? 

A lavagem nasal e a nebulização, ambos com soro fisiológico, são os melhores amigos da doença respiratória. Porque eles ajudam a diminuir a espessura do muco, dificultando seu acúmulo, e ajudam a retirar o excesso de muco e qualquer agente externo que possa estar causando esses quadros. 

Nebulizador e inalador: diferença e qual é melhor?

Aprenda como fazer a lavagem nasal de maneira correta:

Importante frisar que este conteúdo não substitui a consulta e avaliação de um médico, combinado? 

De mãe em mãe, construiremos um novo maternar!

Referências

Demain JG. Climate Change and the Impact on Respiratory and Allergic Disease: 2018. Curr Allergy Asthma Rep. 2018;18(4):22. Published 2018 Mar 24. doi:10.1007/s11882-018-0777-7

Jaber R. Respiratory and allergic diseases: from upper respiratory tract infections to asthma. Prim Care. 2002;29(2):231-261. doi:10.1016/s0095-4543(01)00008-2

del Río-Navarro BE, Ito-Tsuchiya FM, Zepeda-Ortega B. Rinitis, sinusitis y alergia [Rhinitis, sinusitis and allergy]. Rev Alerg Mex. 2009;56(6):204-216.

Deixe um comentário

Fechar Menu