You are currently viewing Quais os benefícios de cantar música para bebê na barriga?<span class="wtr-time-wrap after-title">Tempo estimado de leitura: <span class="wtr-time-number">6</span> minutos</span>

Quais os benefícios de cantar música para bebê na barriga?Tempo estimado de leitura: 6 minutos

O desenvolvimento do feto na barriga da mãe passa por vários períodos importantes e é lá dentro do útero que o bebê começa a trabalhar alguns sentidos essenciais, como a visão e a audição.

Na 21ª semana de gestação, o feto já apresenta um desenvolvimento quase completo do seu aparelho auditivo, o que o torna capaz de identificar sons internos e externos. Por esse motivo, tudo que é falado ou tocado para o bebê a partir dessa semana pode ser identificado e memorizado por ele.

É claro que a grande maioria dos sons que estimulam a via intrauterina são provenientes da mãe, como a sua pulsação cardíaca, a sua circulação periférica, os movimentos do estômago e do intestino e até a sua respiração e os seus passos, mas isso não significa que os sons externos não tenham influência na formação do bebê.

Ouvir música para bebê na gestação, por exemplo, traz inúmeros benefícios para o bem-estar da mãe e do bebê e, ainda, pode auxiliar no desenvolvimento do feto e dar início ao vínculo entre a criança e os pais. Hoje eu trouxe para vocês 5 benefícios de se escutar música durante a gravidez:

Benefícios da música para bebê

  1. Aumenta a atividade cerebral da criança

Alguns estudos já observaram um aumento de atividade cerebral do feto quando uma música é tocada para eles.

Como a criança tem o aparelho auditivo formado ainda no começo da gestação — sendo esse o primeiro sentido desenvolvido por ela — pode ser interessante já começar a estimular o bebê com sons e músicas que os pais julguem como calmos e relaxantes.

Ainda não é comprovado cientificamente, mas estudos realizados em vários locais do mundo têm apontado para uma relação entre a estimulação musical na gestação e o melhor desenvolvimento cognitivo, emocional e de conduta do bebê após o seu nascimento.

2) Música para bebê pode melhorar a qualidade de vida de mãe e filho

A música para bebê pode também fazer muito bem para a mãe. Quando o bebê assimila o som que está sendo tocado, uma sensação de tranquilidade e conforto é produzida, deixando-o mais calmo e, consequentemente, a mãe experimenta menos sintomas de desconforto.

Para tornar a experiência ainda mais prazerosa, o mais indicado é transformar essa prática em um momento em que os pais escutam músicas, selecionadas por ambos, ao mesmo tempo em que conversam e trocam carinho com o bebê.

3) Promove o bem-estar da mamãe

Gestantes que têm o costume de escutar música por pelo menos 30 minutos durante o dia conseguem melhorar sintomas de ansiedade, depressão, estresse, angústia, insônia e hipersensibilidade, muito comuns na gravidez.

Isso acontece porque a música tem o poder de influenciar física e mentalmente uma pessoa. Ela aumenta a secreção de hormônios relacionados ao bem-estar, promovendo o relaxamento e estimulando uma sensação de alegria. Ela também eleva a autoestima, fazendo com que a mulher se sinta mais bonita e atraente.

Esse bem-estar promovido pela música auxilia a gestante a passar pelas tensões e problemas característicos desse período, além de prepará-la melhor para as novidades que são experimentadas nessa etapa. Como consequência, a gravidez torna-se mais serena, assim como a possibilidade de um parto mais tranquilo.

Para tanto, o ideal é apostar em músicas que as façam bem e as deixem mais tranquilas. Nesse sentido, se ela não gosta do estilo, não adianta colocar música clássica só porque todos dizem que o ritmo é benéfico. Se assim for feito, a experiência da gestante não será prazerosa e a música não terá efeito algum.

4) Cantar pode ajudar a aproximar os pais da criança

Não são somente as músicas gravadas em estúdio que são boas alternativas para estimular o desenvolvimento cerebral do seu filho: as músicas cantadas também influenciam bastante a criança que está por vir.

E o melhor de tudo é que, além de estimular, cantar para o bebê também é uma maneira de já ir inserindo o seu tom de voz na rotina da criança, aproximando significativamente a relação entre vocês. Além disso, a voz da mamãe deixa o bebê mais tranquilo e seguro, visto que ela é o primeiro tom reconhecido por ele.

E não é só a gestante que deve experimentar essa atividade: o pai também pode se aventurar nesse mix de estímulos sonoros e reconhecimento de vozes. Cantar para o seu neném pode ser uma experiência única, especialmente se ele corresponde com algum movimento dentro do útero.

O resto da família também pode se unir ao papai e à mamãe na cantoria e, caso alguém saiba tocar qualquer tipo de instrumento musical, o som será muito bem-vindo para o bebê. Já mostrei nesse vídeo um trecho do Gu cantando para o Muri na barriga. Foi um momento muito especial.

5) Acalma o bebê após o seu nascimento

A música para bebê escutada na gestação pode ser utilizada como uma excelente ferramenta após o nascimento. Isso porque alguns estudos têm indicado que aquelas músicas ouvidas com maior frequência enquanto o bebê ainda estava dentro do útero poderão ser reconhecidas pela criança no futuro, visto que elas carregam uma memória auditiva de até 3 meses retrospectivos.

Dessa forma, após o nascimento, ao escutar e reconhecer a música, o bebê sente-se mais relaxado, confortado e seguro. Como consequência, fica mais fácil reduzir as suas cólicas, fazer com que ele durma melhor e descanse adequadamente.

Gostou de aprender um pouco mais sobre a importância da música para bebê? Então, compartilhe esse conteúdo para outras gestantes também conhecerem, aproveite para conhecer outros conteúdos em nosso blog.

Siga no Instagram @gibelarmino

De mãe em mãe, construiremos um novo maternar!

Referências

Corbijn van Willenswaard K, Lynn F, McNeill J, et al. Music interventions to reduce stress and anxiety in pregnancy: a systematic review and meta-analysis. BMC Psychiatry. 2017;17(1):271. Published 2017 Jul 27. doi:10.1186/s12888-017-1432-x

García González J, Ventura Miranda MI, Requena Mullor M, Parron Carreño T, Alarcón Rodriguez R. Effects of prenatal music stimulation on state/trait anxiety in full-term pregnancy and its influence on childbirth: a randomized controlled trial. J Matern Fetal Neonatal Med. 2018;31(8):1058-1065. doi:10.1080/14767058.2017.1306511

Garcia-Gonzalez J, Ventura-Miranda MI, Requena-Mullor M, Parron-Carreño T, Alarcon-Rodriguez R. State-trait anxiety levels during pregnancy and foetal parameters following intervention with music therapy. J Affect Disord. 2018;232:17-22. doi:10.1016/j.jad.2018.02.008

James DK, Spencer CJ, Stepsis BW. Fetal learning: a prospective randomized controlled study. Ultrasound Obstet Gynecol. 2002;20(5):431-438. doi:10.1046/j.1469-0705.2002.00845.x

Wulff V, Hepp P, Wolf OT, et al. The effects of a music and singing intervention during pregnancy on maternal well-being and mother-infant bonding: a randomised, controlled study. Arch Gynecol Obstet. 2021;303(1):69-83. doi:10.1007/s00404-020-05727-8

Lamont A. Toddlers’ musical preferences: musical preference and musical memory in the early years. Ann N Y Acad Sci. 2003;999:518-519. doi:10.1196/annals.1284.063

Deixe um comentário

Fechar Menu