Você está visualizando atualmente Obesidade infantil: qual a melhor forma de lidar?
Imagem: Canva

Obesidade infantil: qual a melhor forma de lidar?

Entenda os fatores por trás deste problema de saúde entre as crianças

A obesidade infantil é um problema sério de saúde e que atinge cerca de 39 milhões de crianças com menos de 5 anos ao redor do mundo, segundo as últimas estimativas da Organização Mundial da Saúde.

E muitos pais, infelizmente, acham que é apenas uma fase e que o filho vai emagrecer apenas por envelhecer, mas essa não é a realidade. Hoje, eu vou explicar o que está por trás dessa doença global, explicar os riscos que ela pode trazer e como fazer um tratamento e uma prevenção eficazes:

O que é a obesidade infantil?

Complexa e com diferentes causas, a obesidade infantil ocorre quando uma criança está acima do peso saudável considerado pelos médicos. Para saber se uma criança está obesa ou não, os profissionais utilizam como base o Índice de Massa Corporal (IMC), um cálculo que baseia fatores como idade, peso, sexo e altura.

O Ministério da Saúde disponibiliza, inclusive, uma calculadora do IMC infantil virtualmente, mas vale ressaltar que além desse exame, outros podem acabar sendo necessários para que os médicos consigam medir a gordura corporal da criança, e apenas esses profissionais de saúde podem dar o diagnóstico preciso de obesidade para os pequenos.

O que causa a obesidade infantil?

Dentre os principais fatores por trás do aumento da gordura corporal entre crianças, é possível citar:

Genética

Quando os pais ou outros parentes de primeiro e segundo grau da criança apresentam obesidade, o risco de o ganho de peso ser passado entre gerações é alto. Mas acho importante ressaltar que, por mais que seja sim um fator de risco, nem sempre uma criança com histórico familiar de obesidade irá desenvolver essa questão de saúde.

Comportamento

Equilibrar o consumo de calorias consumidas com as calorias queimadas nem sempre é uma tarefa simples no dia a dia. E deixar isso em desequilíbrio pode acabar ocorrendo por meio de diferentes fatores ligados ao comportamento, como escolher erroneamente os hábitos alimentares, não se exercitar e ter dificuldades na hora de dormir, por exemplo.

Sociedade e economia

O local em que sua família habita pode ter um impacto direto no risco do seu filho ter obesidade. O custo e a acessibilidade a opções alimentares saudáveis, o sistema de suporte social para combater a obesidade, o acesso limitado a parques, praças, quadras e locais para a prática de exercícios ao ar livre, e até mesmo a alimentação servida em creches e escolas podem fazer parte dos fatores socioeconômicos que precisam de atenção.

Publicidade

Por mais que o cenário nesse quesito tenha mudado nos últimos anos, a publicidade infantil ainda é um meio de influenciar as crianças a quererem mais alimentos não saudáveis, como salgadinhos e doces. Ela pode ser feita via TV, redes sociais, streamings, outdoor, revista, entre outros meios acessíveis para muitas crianças.

O que a obesidade infantil pode trazer como consequências?

Uma vez que o diagnóstico e os testes foram feitos, uma criança com obesidade infantil precisa combater este problema de saúde, pois o excesso de peso acaba sendo a porta de entrada e facilitadora para outras doenças mais graves e que se estendem até a vida adulta. A lista pode incluir:

·         Asma

·         Apneia do sono

·         Diabetes

·         Hipertensão

·         Doenças cardiovasculares

·         Colesterol alto

·         Distúrbios musculares

·         Gordura no fígado

·         E em casos mais raros, até mesmo câncer e AVC

Além dos problemas físicos, há ainda a questão dos fatores sociais e mentais. Crianças obesas tendem a ter mais problemas com assédio moral, isolamento e baixa autoestima, levando a casos de ansiedade, estresse e depressão.

Como funciona o tratamento da obesidade infantil?

Mais importante do que se concentrar no peso do seu filho, é importante levar em conta a saúde dele como um todo. Por isso, o apoio dos pais para que a criança tenha uma vida mais saudável é fundamental ao longo do tratamento. O sentimento de aceitação do pequeno é parte essencial da jornada para combater os fatores ligados à obesidade.

Os pais também não devem culpar o filho ou se sentirem culpados por conta da obesidade. A aceitação é primordial para quem busca emagrecer saudavelmente. Também é importante conversar com seu filho sobre o peso dele sem fazer julgamentos, de forma honesta.

Com isso em mente, você pode aderir a pequenas mudanças na sua rotina. Comece mudando os hábitos alimentares, com a ajuda de um nutricionista pediatra. É sempre importante dizer que criança não faz dieta, não importa o peso. Tem um post aqui no De Mãe em Mãe onde explico melhor os prejuízos da dieta para crianças, assim como a melhor alternativa nutricional para lidar com o excesso de peso. . Faça as refeições sempre que possível dentro de horários regulares e com a família à mesa.

Vale também aumentar as atividades físicas ao longo do dia, desde brincadeiras ao ar livre como pega-pega, esconde-esconde e pique-bandeira, até atividades esportivas, como futebol, balé, judô, capoeira, vôlei, dança, patinação, andar de bicicleta, entre diversas outras possibilidades.

O sono também é parte importante do processo, por isso, faça com que os horários para dormir sejam regulares e crie uma higiene do sono saudável para os pequenos. Outro ponto importante é: seja o exemplo. Não adianta pedir para seu filho seguir esses hábitos se você também não demonstrar que os segue.

Por fim, mas não menos importante, limite o uso de telas, como TVs, tablets, celulares e videogames. Não faça com que seja maior do que duas horas por dia, para que ele possa se sentir motivado a fazer outras atividades que ajudem a queimar calorias.

Lembre-se, é de extrema importância o acompanhamento de uma equipe multiprofissional de saúde, com nutricionista, pediatra e psicólogo, para ajudar a diagnosticar as causas da obesidade infantil e o melhor curso de tratamento. Além disso, a família tem participação importantíssima nesse tratamento, e deve vestir a camisa para que funcione! 

E qual é a prevenção da obesidade infantil?

Além de todos os processos citados no tratamento da obesidade, vale também consultar um pediatra e um nutricionista infantil para tirar suas dúvidas e ver a melhor forma de adaptar a rotina da sua família para prevenir o ganho de peso na infância.

Converse também com familiares, amigos e a escola para orientar o seu filho sobre hábitos alimentares, atividades, passeios, ciclos sociais e formas de combater aos poucos os hábitos que possam incentivar a obesidade.

Para saber mais sobre obesidade infantil, basta me seguir nas redes sociais! Pelo Instagram do De Mãe em Mãe (@demaeemmae_) você tem acesso a mais conteúdo de maternidade, e pelo meu perfil (@gibelarmino_), você encontra dicas sobre bem-estar para empoderar seu maternar!

De mãe em mãe, construiremos um novo maternar!

IMPORTANTE: O conteúdo desta página não deve substituir as orientações médicas e/ou nutricionais de profissionais da saúde habilitados. 

Referências bibliográficas:

Obesity and overweight. WHO, acesso em fevereiro de 2024.

Childhood Overweight & Obesity. CDC, 2022.

Childhood Obesity. Cleveland Clinic, 2022.

Deixe um comentário

Fechar menu