You are currently viewing Como preparar o filho mais velho para a chegada do bebê<span class="wtr-time-wrap after-title">Tempo estimado de leitura: <span class="wtr-time-number">7</span> minutos</span>

Como preparar o filho mais velho para a chegada do bebêTempo estimado de leitura: 7 minutos

A chegada de um novo bebê é sempre um momento de mudanças e de um turbilhão de sentimentos, sendo necessário saber como preparar o filho mais velho. Insegurança, ciúmes e sensação de abandono podem ser comuns. Afinal, não é fácil dividir, de uma hora para a outra, a atenção e os cuidados que eram apenas seus.

Aqui eu não tive nenhum problema com o Gu com a chegada do Muri. Pelo contrário, ele ficou super ansioso esperando o irmãozinho e curtiu muito do nosso lado toda essa espera. Mas, além da personalidade do Gu, que com certeza contribuiu em grande parte para esse resultado, nós tomamos algumas ações para prepará-lo para essa chegada e vou compartilhar aqui com vocês o que acho importante e que pode realmente ajudar: 

Como preparar o filho mais velho

  1. Deixe o filho mais velho participar da gestação

Envolva a criança nos preparativos para a chegada do novo bebê. Deixe que ela opine sobre a escolha do nome e dos itens do enxoval.

Sempre que possível leve a criança ao ultrassom para ver o irmãozinho. A convide para acariciar e beijar sua barriga e também a falar com o bebê. Ela certamente vai gostar de saber que o irmão já pode ouvi-la. E assim, você já vai incentivando o carinho dela pelo bebê que está para chegar.

Quem me segue no Instagram já deve ter visto um vídeo icônico do Gustavo cantando “Como é grande o meu amor por você” para o Muri na minha barriga, e chorando enquanto cantava. Ele tinha muito amor pelo Murilo desde que soube que ele existia e nós incentivávamos esse carinho!

Aqui vale a pena também mostrar para o mais velho que fez exatamente todo esse processo quando estava grávida dele também. Eu mostrava os vídeos de ultrassom do Gustavo, mostrei todos os álbuns que fiz de gestação e do primeiro ano de vida dele, fotos do quartinho dele. 

Tudo o que acontecia na gravidez e preparo para a chegada do Muri, eu mostrei para o Gustavo que aconteceu da mesma forma para ele também. 

  1. Se possível, leve a criança à maternidade

Após o parto é importante que alguém leve a criança na maternidade para que possa conhecer o irmãozinho e ver que a mamãe está bem. Dar a ela um presente, como se fosse oferecido pelo bebê que acabou de chegar, também ajuda a quebrar a resistência dela e a ver o irmão como um novo membro da família.

  1. Tenha atenção com o mais velho durante as visitas ao recém-nascido

Eu me adiantei, comprei alguns presentes e deixei guardado para dar ao Gustavo toda vez que alguém viesse visitar o Murilo e trouxesse presentes para ele. 

Foi uma das formas de fazer com que ele não se sentisse excluído porque, até então, ele era o centro das atenções na família. 

Eu confesso que não precisei usar porque o Gustavo sempre levou tudo com muita tranquilidade e todo mundo que vinha visitar, presenteava os dois. Mas sempre fiz questão de envolvê-lo nas visitas para que ele não se sentisse deixado de lado. 

  1. Converse com o filho mais velho sobre o lugar dele na família

Mesmo as crianças que pediram por um irmãozinho podem se decepcionar e se sentirem ameaçadas com a chegada do bebê. O irmão mais velho imagina que vai ganhar um amigo para brincar. Mas ao invés disso, recebe um serzinho que chora muito e rouba a atenção de todos, especialmente dos pais.

Por isso, é importante dizer à criança o que é ser o irmão mais velho. Deixe claro que ela não perdeu seu lugar na família e que ganhou sim um grande amigo. Explique que o bebê ainda vai aprender a brincar e que você vai precisar de ajuda para cuidar dele. E que ela vai poder ensinar ao irmãozinho muitas coisas divertidas.

Com o Gustavo funcionou explicar que o Murilo era um bebê e não sabia falar, e que a forma de comunicação dele era através do choro. Que precisávamos ter paciência e entender do que ele estava precisando. Uma só vez falei isso para o Gustavo e ele entendeu e falava isso para todos os cantos. 

  1. Evite mudanças bruscas na rotina do filho mais velho

Não faça grandes mudanças na rotina do filho mais velho logo após a chegada do bebê. A retirada de fraldas, mamadeira e chupeta deve acontecer ao menos seis meses antes do nascimento do caçula. Assim como a transferência da criança do berço para a cama. Dessa forma, ela não associa essas mudanças à perda de espaço e atenção para o irmão.

Se essas mudanças não forem feitas antes do bebê nascer, devem ser deixadas para bem depois, quando a criança já estiver mais segura e adaptada à presença do irmãozinho.

Essa recomendação também é válida para a matrícula da criança em uma escolinha. Se não foi possível o ingresso antes do fim da gravidez, o melhor é adiar por um tempo para que ela não sinta que está sendo afastada do convívio familiar e substituída pelo bebê.

  1. Reserve um tempo para atividades com o filho mais velho

Mesmo que os primeiros dias do bebê em casa sejam muito cansativos, é importante reservar um tempo para dar atenção exclusiva ao filho mais velho. O pai, tios ou os avós podem levá-lo para passear. Longe do novo bebê ele poderá sentir que recebe o mesmo carinho de antes.

A mãe também deve delegar alguns cuidados com o bebê para se dedicar ao filho mais velho. Pedir que alguém fique com o caçula enquanto dá colo para o primogênito fará com que ele perceba que a mãe continua a cuidar dele e não se dedica apenas ao novo membro da família.

Eu sempre fiz questão de manter esses momentos só meus e do Gustavo. Mesmo que por pouco tempo, como sair para fazer um exame ou tomar um sorvete quando buscava ele na escola, era um momento de qualidade, só nosso, onde eu estava com toda minha atenção dedicada a ele. 

  1. Incentive o filho mais velho a participar dos cuidados com o bebê

Participar dos cuidados com o bebê reduz o sentimento de deslocamento da criança mais velha. Deixá-la pegar a fralda, escolher uma roupinha ou mesmo calçar a meia no irmãozinho fará com que ela se veja participando das mudanças na rotina da família. Ela também percebe seu novo papel no arranjo familiar.

Lembre-se que essa ajuda não deve ser imposta. Eles participam quando e se desejarem. 

  1. Estimule a parceria entre irmãos

Estimular a interação entre os irmãos vai fortalecer seus laços afetivos. Convide o irmão mais velho a contar histórias para o irmãozinho, ler, dizer como foi o seu dia na escola ou na casa dos avós. Quando o bebê começar a sorrir e a gaguejar, mostre ao mais velho como o pequenino gosta dele.

LEIA MAIS

  1. Mostre empatia

Mostre a ela que você entende e respeita o que ela está sentindo. Frases como: “é difícil ser o irmão mais velho” ou “ter um bebê em casa muda muita coisa”, mostra que você a compreende e se importa com ela. E é disso que ela precisa nesse momento de grande insegurança.

Espero que esse conteúdo tenha te dado mais segurança para abordar a chegada do novo bebê! 

Me acompanhe também no Instagram  @gibelarmino_ para mais dicas

De mãe em mãe, construiremos um novo maternar!

Deixe um comentário

Fechar Menu