You are currently viewing As maiores fake news da amamentação<span class="wtr-time-wrap after-title">Tempo estimado de leitura: <span class="wtr-time-number">10</span> minutos</span>

As maiores fake news da amamentaçãoTempo estimado de leitura: 10 minutos

É muito importante que nós, enquanto sociedade, entendamos nossa responsabilidade em apoiar e promover segurança e bem-estar para as mulheres que amamentam. Como mãe e cientista eu apoio e incentivo o aleitamento materno e hoje vou esclarecer 10 mitos sobre para te ajudar a se sentir mais segura e empoderada sobre amamentar seu bebê!

01 – A amamentação é fácil!

Os bebês nascem com o reflexo de procurar pelo seio da mãe. No entanto, muitas mães precisam de apoio prático para posicionar o bebê para a amamentação e garantir a pega correta. A pega incorreta é um dos maiores motivos de desmame precoce e dificuldades de amamentação, além de ser muito doloroso para a mãe. A amamentação leva tempo e prática para mães e bebês. A amamentação também demanda tempo e, por isso, as mães precisam de espaço e apoio em casa e no trabalho.

02 – Amamentar é dolorido.

Muitas mães sentem desconforto nos primeiros dias após o nascimento, quando estão aprendendo a amamentar. Mas, com o bebê posicionado de uma maneira confortável e com a pega correta, esse desconforto passará em poucos dias. Se os sintomas persistirem é interessante consultar um profissional, médico ou até uma consultora de amamentação para ajudá-la a superar o problema.

03 – Se você utilizar fórmula não conseguirá mais amamentar

Existem vários motivos que podem levar as mães a utilizar fórmula em algumas ocasiões e ainda assim continuar amamentando. É importante buscar informações imparciais sobre fórmulas e outros produtos que substituam o leite materno e para manter a produção de leite materno, continue oferecendo o peito ao bebê com a maior frequência possível. Realizar a ordenha do leite quando não estiver amamentando, se possível, também vai te ajudar a manter a produção. Pode ser útil para as mães consultar um especialista em amamentação ou profissional capacitado para ajudar com um plano que funcione melhor para que elas continuem amamentando.

04 – Meu leite não é suficiente, o bebê fica com fome

Quase todas as mães produzem a quantidade certa de leite para seus bebês. A produção de leite materno é determinada por algumas variantes como pega correta, frequência do aleitamento materno, se o bebê esvazia o peito a cada mamada, saúde emocional da mãe. Tudo isso afeta para mais ou para menos a produção do leite. 

É preciso entender também que o estômago dos bebês, principalmente logo após o nascimento, é muito pequenininho e não cabe muito leite mesmo, então é natural que ele sinta fome com mais frequência. Mas isso não tem a ver com você e sim com a fisiologia do corpinho dele mesmo. Conforme ele for crescendo, a capacidade do estômago dele também aumenta e, consequentemente, ele precisará mamar com menor frequência. 

Além disso, durante os saltos de crescimento os bebês acabam mamando mais também, porque estão aprendendo algo novo, isso faz com que gastem mais energia. Então eles precisarão repor essa energia com o leite. Se você quiser saber mais sobre saltos de crescimento, veja o conteúdo que tem lá no site sobre o assunto. Vou deixar o link na descrição do vídeo. 

05 – Meu leite é fraco

A produção de leite, tanto em quantidade quanto em qualidade, é regulada de acordo com a necessidade do bebê. Estudos mostram que a composição do leite do bebê muda se seu bebê está doente, aumentando a quantidade de anticorpos, por exemplo. Quando estamos amamentando, nosso corpo garante que todos os nutrientes que o bebê precisa, estejam no seu leite. Ou seja, se você não consumir cálcio suficiente, por exemplo, seu corpo tira o cálcio dos seus ossos para colocar no leite, e você fica com deficiência de cálcio, mas seu bebê nunca. Isso significa que NÃO EXISTE LEITE FRACO. Seu leite é e sempre vai ser perfeito para o seu bebê. 

06 – Preciso parar de amamentar se meu peito tiver rachadura

Esse é um tópico delicado. TEORICAMENTE não há necessidade, a princípio, de interromper a amamentação se você tiver rachadura, porque o acúmulo do leite no seu peito pode trazer outro problema, como o empedramento. Se houver sangramento, pus, ou outros sinais de infecção aí sim a suspensão pode ser indicada, então você precisa consultar um médico para te ajudar a avaliar se é necessário ou não interromper em caso de machucados. Nesse caso, avaliar se a pega está correta e corrigir se estiver errada, e utilizar algumas pomadas cicatrizantes, com conhecimento e indicação do pediatria, podem te ajudar muito.

MAS amamentar com rachaduras/machucados no peito pode ser muito doloroso, e você precisa avaliar o quanto você aguenta. Sempre falo que a melhor mãe é a mãe possível, é a mãe que está bem. Porque, se não estiver, ela não vai conseguir cuidar bem do filho. E essa mãe não é a mãe que se sacrifica a qualquer custo pelo bebê, o seu bem-estar é importante. Então se você tiver rachadura e não estiver aguentando a dor de amamentar, tudo bem. Converse com um especialista sobre opções para aliviar o acúmulo de leite nas mamas e evitar o empedramento e volte a amamentar quando você se sentir confortável. 

07 – Se você não amamentar o primeiro filho, não vai conseguir amamentar o segundo 

A lactação é uma situação que acontece naturalmente em fêmeas mamíferas. Isso significa que, em condições normais, se você engravidar, você produzirá leite. Existem algumas situações e medicamentos que podem afetar isso, mas, no geral, a lactação é uma consequência da gestação. Somente com esse dado já é possível afirmar que, se você engravidar, você vai ter leite. A continuidade dessa produção após o nascimento do bebê depende sim de outros fatores externos, que falei no video de dicas para uma amamentação de sucesso, vou deixar o link na descrição.

Mas veja, para além da questão fisiológica e biológica, temos a parte emocional. É possível, por exemplo, que uma mulher que adotou um bebê, consiga produzir leite para amamentá-lo. Da mesma forma, mulheres em relações homoafetivas podem amamentar juntas, após o nascimento de um bebê que foi gerado somente por uma das mães. Com preparação hormonal e emocional é possível amamentar mesmo se você não gerou uma criança. 

Então se, por qualquer motivo, você não conseguiu amamentar seu filho, não há absolutamente nenhuma razão científica para que você não consiga amamentar o segundo. 

08 – Você deve lavar seus mamilos antes de amamentar.

No geral, lavar os mamilos antes de amamentar não é necessário. Quando os bebês nascem, eles já estão muito familiarizados com os cheiros e sons da própria mãe. Os mamilos produzem uma substância que o bebê cheira e tem “boas bactérias” que ajudam a construir o sistema imunológico saudável dos bebês para a vida toda. 

Mas se, por algum motivo você precisou utilizar alguma pomada cicatrizante, por exemplo, pode ser que você precise lavar o mamilo antes de amamentar para retirar o excesso. Essa orientação deve ser dada pelo seu médico e pelo fabricante do medicamento que você utilizou. 

09 – Você não poderá amamentar a menos que você o faça imediatamente após o parto

É mais fácil começar a amamentação se você começar na primeira hora após o nascimento porque os reflexos de um bebê são muito fortes naquele momento, esse é o princípio da Golden Hour, da hora de ouro, que tem sido aplicado hoje na maioria dos centros obstétricos. Mas se você não amamentar o seu bebê logo após o nascimento, isso não significa que você não vai conseguir amamentar. No parto do Gu, em 2013, nós tivemos a Golden hour, mas ele não quis mamar. Ele nasceu às 7h e foi mamar somente às 15. O Muri nasceu as 07h e foi mamar às 17h. E eu consegui amamentar os dois normalmente depois disso. Se você não tiver possibilidade de amamentar seu bebê na primeira hora de vida, faça-o o mais rápido possível, de acordo com a sua situação. Se precisar de ajuda para colocar seu bebê no peito, peça ajuda de um consultor de lactação qualificado ou de outro profissional especializado. Se o hospital em que você realizou o parto tiver um lactário, eles poderão te auxiliar. 

10 – Se você voltar ao trabalho, terá que desmamar seu bebê.

Muitas mães continuam amamentando depois de voltarem ao trabalho. Primeiro, verifique as políticas para ordenhar o leite no seu local de trabalho. Se no seu trabalho você tiver 6 meses de licença maternidade, quando voltar seu bebê já terá iniciado a introdução alimentar e não irá mamar no horário das refeições, o que diminui a sua necessidade de ordenha. Você pode tentar alinhar os horários das mamadas para os horários que estiver em casa e ter um estoque do seu leite no congelador para emergência. Mas se no seu trabalho a sua licença for de 4 meses, que foi o meu caso, 15 dias antes de voltar a trabalhar, comece a ordenhar e congelar seu leite para ter um estoque e procure, no seu trabalho, ordenhar o leite nos horários das mamadas, para manter o estímulo mecânico. Eu já ensinei aqui como ordenhar o leite materno para a volta ao trabalho, também vou deixar o link na descrição para você conferir passo a passo. 

Esse é um assunto que rende, infelizmente ainda existem muitos mitos que cercam o aleitamento e desencorajam as mulheres a prosseguir. Mas é importante se informar, buscar apoio de pessoas e profissionais em quem você confie e confiar que a natureza é sábia. Me conta aqui nos comentários, tem algo sobre amamentação que você acredita ou que te contaram e você tem curiosidade de saber se é mito?

Vamos conversar e apoiar as mulheres que amamentam!

De mãe em mãe, construiremos um novo maternar. 

REFERÊNCIAS

Martin CR, Ling PR, Blackburn GL. Review of Infant Feeding: Key Features of Breast Milk and Infant Formula. Nutrients. 2016;8(5):279. Published 2016 May 11. doi:10.3390/nu8050279  https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4882692/ 

Andreas NJ, Kampmann B, Mehring Le-Doare K. Human breast milk: A review on its composition and bioactivity. Early Hum Dev. 2015;91(11):629-635. doi:10.1016/j.earlhumdev.2015.08.013

Hassiotou F, Hepworth AR, Metzger P, et al. Maternal and infant infections stimulate a rapid leukocyte response in breastmilk. Clin Transl Immunology. 2013;2(4):e3. Published 2013 Apr 12. doi:10.1038/cti.2013.1

Sociedade Brasileira de Pediatria. SMAM 2021 exalta que a amamentação deve ser compreendida como uma responsabilidade compartilhada. Disponível em: https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/smam-2021-exalta-que-a-amamentacao-deve-ser-compreendida-como-uma-responsabilidade-compartilhada/ Acesso em? 26/07/2021.Organização das Nações Unidas. 14 mitos sobre amamentação. Disponível em: https://news.un.org/pt/story/2019/08/1682331. Acesso em 26/07/2021.

Deixe um comentário

Fechar Menu