You are currently viewing 7 dicas para organizar suas metas pessoais<span class="wtr-time-wrap after-title">Tempo estimado de leitura: <span class="wtr-time-number">5</span> minutos</span>

7 dicas para organizar suas metas pessoaisTempo estimado de leitura: 5 minutos

Ter filhos não é só uma questão de saber educar e cuidar com amor e carinho. Uma casa com crianças exige certo grau de noções de administração. Sem isso, tudo vira um caos. Vocês sabem que eu sou muito fã de planejamento para tudo, desde a alimentação do dia a dia, até a organização financeira do ano inteiro, e, como não poderia ser diferente, parte importante desse planejamento são metas pessoais, profissionais e da família. O planejamento me ajuda a atingir essas metas e elas também são uma forma de planejamento, ou seja, está tudo interligado.

Hoje quero compartilhar um pouco de como eu me organizo com essas metas, principalmente depois das crianças.

Se você nunca fez metas antes, eu indico começar estabelecendo metas de médio (entre 3 e 5 anos) e longo (entre 5 e 10 anos) prazo e dividir as tarefas do dia a dia visando atingi-las. Considere como objetivos desde uma nova posição em sua carreira até a conquista de ter formado crianças íntegras e com excelente nível de instrução, por exemplo. 

Mas, por onde começar?

A grande dificuldade da maioria das pessoas ao pensar em planejamento de metas é saber por onde começar. E a primeira dica que eu dou é separar um tempo para pensar onde você quer chegar. Inicialmente você pode ter dificuldade em achar uma resposta para essa pergunta, mas calma, não desista, te ajudarei com isso com 7 dicas:

1- Um dos elementos que impedem as pessoas de terem metas grandiosas é o medo de errar, o medo de definir um alvo grandioso, difícil de atingir e não conseguir conquistá-lo. Não caia nessa cilada;

2- Descrever em detalhes qual a sua meta: Quanto mais descrever a meta, melhor será para conseguir alcançá-la, pois você saberá exatamente aonde você quer chegar;

3- Dividir grandes metas em pequenas metas: Após escrever suas metas em detalhes, ficará mais fácil subdividir essa meta. E vale ressaltar que essa subdivisão é muito importante, pois mostrará para você o quão perto está de concluir;

4- Definir a importância e a prioridade de cada meta: Dificilmente temos uma única meta na vida, então, por isso, é necessário definir o nível de importância de cada uma delas, para que assim o planejamento de metas seja bem sucedido mais facilmente;

5- Estabelecer prazo: Metas são objetivos com prazos de validade, então, para criarmos um planejamento de metas, precisamos que cada etapa a ser concluída tenha um prazo;

6- Montar um plano de ação: Agora que você já definiu com clareza suas metas, cada etapa, estipulou níveis de prioridades e prazos, está na hora de montar um plano de ação, ou seja, definir o que você vai fazer para alcançar cada etapa definida, afinal, planejamento é exatamente isso;

7- Essa etapa é tão importante quanto as acima, e muitas pessoas falham nesse ponto em acompanhar o desenvolvimento das metas, então, atenção, crie uma rotina para acompanhar cada desenvolvimento, seja pessoal ou profissional.

Vou te dar algumas dicas de como organizar suas tarefas no dia a dia para conseguir alcançar suas metas, sejam elas de curto, médio ou longo prazo: 

Prioridades pessoais e profissionais

Tratam-se de tarefas que são imprescindíveis para que você atinja seus objetivos pessoais. Ou seja Ka, se você pretende ser promovida, por exemplo, pode ser interessante fazer uma pós-graduação. Coisas assim devem caber na sua rotina, mas não precisam tomar mais do que uma hora diária

Prioridades para a família e amigos próximos

Fazem parte deste grupo aquelas tarefas que têm impacto a médio e longo prazo na vida de quem amamos: os filhos, o marido, os pais e os amigos mais queridos. Quer exemplos do que seria? Sentar para brincar com os filhos e transmitir valores a eles; ir ao supermercado com as crianças e aproveitar para ensinar algo (o nome das frutas, cálculos de matemática ou simplesmente bons modos em público); fazer um almoço para seus pais; sair a sós com o maridão e reafirmar os vínculos do casamento. Você também não precisa gastar mais do que uma hora diária com este tipo de tarefa.

Atividades boas, mas não imprescindíveis

Neste grupo, está tudo aquilo que nos proporciona prazer imediato, mas não traz grandes benefícios para o futuro. Exemplos: ir a uma happy hour despretensiosa, bater perna no shopping, assistir uma série. Esse tipo de programa só deve ser feito quando as prioridades estiverem concluídas.

Delegáveis

Aqui estão aquelas tarefas chatas, necessárias, mas que não precisam ser feitas necessariamente por você. O supermercado é um clássico: se você planejou cardápio e lista de compras, pode deixar essa lista para outra pessoa ir ao mercado, ou até mesmo fazer essas compras online. Assim você reserva seu tempo para os outros grupos de ações.

Elimináveis

Ou seja, tudo aquilo que não nem para o prazer momentâneo, nem para conquistar objetivos futuros e que não impactam sua rotina se você simplesmente eliminá-las. Por exemplo, horas de congestionamento na volta pra casa. Quando não for possível simplesmente deixar de fazer esse tipo de ação, você pode revertê-las em atividades positivas, por exemplo usar o tempo do trânsito para ouvir um podcast ou audiobook. 

Espero que esse conteúdo te ajude a se organizar melhor na hora de planejar suas metas. Eu sempre falo sobre isso no meu Instagram, se você ainda não me segue, passa lá para a gente trocar mais ideias! 

De mãe em mãe, construiremos um novo maternar!

Deixe um comentário

Fechar Menu