You are currently viewing Mamoplastia prejudica a amamentação?<span class="wtr-time-wrap after-title">Tempo estimado de leitura: <span class="wtr-time-number">4</span> minutos</span>

Mamoplastia prejudica a amamentação?Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Desde que contei sobre a minha cirurgia plástica tenho recebido muitas dúvidas e uma das campeãs é como fica a amamentação depois da mamoplastia. Eu fiz alguns vídeos contando sobre o meu processo de pré e pós operatório e respondendo algumas perguntas que recebi, vou deixar os links aqui embaixo, mas essa dúvida achei que valia um post exclusivo. 

Tudo sobre minha cirurgia plástica

Quando o assunto é cirurgia nas mamas, muitas mulheres (mães ou não) se preocupam sobre a capacidade de amamentação após a realização da cirurgia. Falar sobre mamoplastia e amamentação é delicado, uma vez que a eficácia da amamentação após o procedimento cirúrgico vai depender de diversos fatores, que variam de paciente para paciente e também do tipo de cirurgia realizada. 

Então vou começar explicando o que é e quais são os tipos de mamoplastia para deixar mais claro quando e por que há interferência na amamentação. 

O que é mamoplastia

Mamoplastia é o nome que se dá à cirurgia plástica das mamas que visa alterar o volume ou a forma delas, aumentando-as por meio da aplicação de prótese de silicone ou diminuindo-as por meio da retirada de tecido mamário. Nesse último caso a cirurgia é chamada de mamoplastia redutora. Há também a mastopexia, que é a cirurgia para alteração no formato das mamas, geralmente realizada para correção de mamas naturalmente caídas.

Em que tipo de mamoplastia a amamentação fica em risco? 

Geralmente na mamoplastia redutora e, dependendo do caso, na mastopexia, porque há modificação da estrutura anatômica das mamas e possivelmente retirada de glândulas mamárias. 

No geral, quando a mamoplastia consiste somente na colocação de prótese de silicone, não há interferência na amamentação porque a prótese é posicionada atrás dos dutos mamários ou dentro do músculo peitoral (imagem abaixo). Em ambos os casos, não há nenhuma alteração nas glândulas e dutos mamários

Já durante a mamoplastia redutora, parte da glândula mamária é removida visando a remodelagem, a redução do tamanho e volume da mama. Parte dos ductos mamários também necessitam ser cortados durante a cirurgia, o que pode prejudicar a amamentação.

No caso da mastopexia, há também retirada e recolocação das aréolas. As terminações nervosas e ductos mamários também são afetados nessa intervenção. 

Durante a cicatrização, parte dos ductos mamários, podem recanalizar, ou seja “voltar a funcionar” e a glândula mamária remanescente pode manter a capacidade de lactação. Tudo depende da quantidade de tecido mamário retirado na cirurgia. Em casos de pacientes que possuem mamas muito grandes e necessitam de grandes retiradas de tecido mamário durante a mamoplastia redutora, a probabilidade de conseguir amamentar no futuro é muito menor. 

Isso não significa que é impossível. Na maioria das vezes, as dificuldades para a amamentação surgidas depois de uma mamoplastia redutora ocorrem em decorrência de alguns ductos mamários terem sido cortados. Nesse caso, com o passar do tempo, é possível que se formem novos e que quanto maior for o tempo transcorrido entre a mamoplastia e o momento da amamentação, maior a probabilidade de poder oferecer o seio ao bebe normalmente.

Um estudo de revisão sistemática (que avalia diversos estudos sobre um tema) realizado em 2017 com mulheres que realizaram mamoplastia redutora, demonstrou que 72% das mulheres relataram que o motivo predominante para não amamentar foi a falta de apoio e incentivo e 55% das mulheres relataram leite insuficiente. Neste estudo, a quantidade de tecido mamário removido e o tempo decorrido da cirurgia não impactou a taxa de sucesso da amamentação. 

Podemos concluir que o sucesso ou não da amamentação depois da mamoplastia redutora, depende de diversos fatores, que incluem desde a técnica utilizada na cirurgia, o intervalo entre a intervenção e a amamentação e a forma como a mulher é orientada e acolhida nesse processo. 

Se você fez ou pretende fazer mamoplastia e amamenta ou pretende amamentar, é importante conversar com seu médico, buscar informação e apoio. Se você conhece alguém que está passando por isso, seja um ombro amigo e pergunte como você pode fazer para ajudá-la e apoiá-la. 

De mãe em mãe, construiremos um novo maternar! 

Referências 

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia. Amamentação em mulheres com mamoplastias: evidências atuais. Disponível em: https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/917-amamentacao-em-mulheres-com-mamoplastias-evidencias-atuais. Acessado em novembro de 2021. 

Kraut RY, Brown E, Korownyk C, Katz LS, Vandermeer B, Babenko O, Gross MS, Campbell S, Allan GM. The impact of breast reduction surgery on breastfeeding: Systematic review of observational studies. PLoS One. 2017;12(10):e0186591. doi: 1371/journal.pone.0186591. 

Fengrui Cheng;Shuiping Dai;Chiyi Wang;Shaoxue Zeng;Junjie Chen;Ying Cen. Do breast implants influence breastfeeding? A meta analysis of comparative studies. Journal human lactation. 2018;1-9. doi: 101177/0890334418776654.

Deixe um comentário

Fechar Menu