You are currently viewing Criança com febre: sinais de que você deve levá-la ao médico<span class="wtr-time-wrap after-title">Tempo estimado de leitura: <span class="wtr-time-number">4</span> minutos</span>

Criança com febre: sinais de que você deve levá-la ao médicoTempo estimado de leitura: 4 minutos

Como identificar o momento de levar a criança com febre ao médico?

Passou dos 37.8ºC de temperatura e a preocupação começa. Conforme o termômetro vai subindo, aumenta também o estado de estresse dos pais. A febre é o sintoma que mais leva os pais a procurar atendimento para seus filhos. Pode ser um forte indício de que há algo errado no organismo, como uma infecção causada por vírus ou bactéria, por exemplo.

Febre não é doença, mas um sintoma. Significa que o organismo está reagindo a uma situação diferente. Pode ser contra um vírus, bactéria, um dentinho que está nascendo ou até mesmo um estado emocional. Quanto menor a criança, maiores as chances de ter febre porque ainda está na fase de adquirir imunidade e deixar os pais ainda mais preocupados.

Criança com febre

O importante é não se desesperar com a febre dos seus filhos. Até porque, o ambiente hospitalar pode ser ainda mais perigoso, principalmente durante a pandemia.

Por isso, entender a criança com febre é o primeiro passo para se tomar uma atitude mais adequada e depois, o ideal é ligar para o pediatra da criança. Tenha sempre um termômetro em casa, observe bem o comportamento da criança e procure assistência médica nos seguintes casos:

  • Temperatura acima de 37,8ºC em bebês com menos de três meses de idade;
  • Febre maior que 39,4°C em crianças até os três anos de idade;
  • Febre por mais de 24 horas em crianças até dois anos de idade;
  • Febre por mais de três dias em crianças acima de dois anos;
  • Temperatura superior a 39ºC em bebês com mais de três meses ou se a febre vier acompanhada de choro persistente e irritabilidade extrema;
  • Respiração rápida (mais de 50 respirações por minuto em bebês de até um ano; e mais de 40 respirações por minuto em crianças entre um e cinco anos);
  • Rigidez na nuca (o queixo não encosta no peito)
  • Febre que dura mais de um dia, acompanhada de dor de cabeça, irritabilidade, sonolência excessiva, dificuldade para falar, apatia (sintomas sugestivos de meningite) em crianças de até dois anos;
  • Febre em crianças de qualquer idade acompanhada dos seguintes sintomas: dor de cabeça forte e persistente; sensibilidade excessiva à luz; dor de garganta que impeça a deglutição; vermelhidão na pele; nuca enrijecida e dolorosa ao curvar a cabeça; confusão mental; vômitos repetitivos; dificuldade para respirar ou dor no peito; irritabilidade ou apatia ou sonolência; dores abdominais; dor ao urinar ou micção frequente e em pequena quantidade.

Atenção: um banho rápido em água morna pode ajudar a baixar a temperatura da criança com febre. Contudo, se o bebê tiver muitos tremores durante o banho, interrompa-o imediatamente. Banho gelado, por sua vez, pode ocasionar piora do quadro clínico, da mesma forma que adicionar álcool na água do banho ou fazer compressa de álcool na testa também não é indicado.

Portanto, em caso de febre alta que não passa, a melhor solução é ligar para seu pediatra e ir ao pronto-socorro mais próximo.

A ideia desse post não é substituir a assistência médica ou a necessidade do pediatra.

Espero que esse conteúdo te ajude a passar por esse momento com mais segurança e tranquilidade. Continue acompanhando nosso site para mais dicas.

De mãe em mãe, construiremos um novo maternar!

Referência

Chiappini E, Bortone B, Galli L, de Martino M. Guidelines for the symptomatic management of fever in children: systematic review of the literature and quality appraisal with AGREE II. BMJ Open. 2017;7(7):e015404. Published 2017 Jul 31. doi:10.1136/bmjopen-2016-015404

Hoover L. AAP reports on the use of antipyretics for fever in children. Am Fam Physician. 2012;85(5):518-519.

Section on Clinical Pharmacology and Therapeutics; Committee on Drugs, Sullivan JE, Farrar HC. Fever and antipyretic use in children. Pediatrics. 2011;127(3):580-587. doi:10.1542/peds.2010-3852

Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento Científico de Pediatria Ambulatorial. Febre: Cuidado com a Febrefobia. Disponível em: https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/cuidados-com-a-saude/febre-cuidado-com-a-febrefobia/ Acesso em: 20/06/2021

Deixe um comentário

Fechar Menu