You are currently viewing Como conduzir um desmame gentil em 7 etapas<span class="wtr-time-wrap after-title">Tempo estimado de leitura: <span class="wtr-time-number">6</span> minutos</span>

Como conduzir um desmame gentil em 7 etapasTempo estimado de leitura: 6 minutos

Desmame é aquela fase em que vamos diminuindo a frequência das mamadas. Uma dúvida muito comum e que muitas seguidoras me pedem para esclarecer é como e quando fazer um desmame gentil.

A Organização Mundial de Saúde recomenda que o bebê consuma o leite materno até os dois anos de idade, mas nem sempre isso é possível. Para cada bebê e mamãe vai acontecer de um jeito (sou prova disso, tive duas experiências bem diferentes).

O desmame gentil pode acontecer por vários motivos: por vontade, por necessidade, pelas circunstâncias do seu momento atual… Tem uma frase que fala que o melhor desmame é quando os dois estão prontos, entretanto, nem sempre mãe e filho estarão prontos para o desmame ao mesmo tempo.

Trouxe 7 passos para planejar um desmame gentil:

1- Avalie a rotina da criança, garanta que as necessidades sejam satisfeitas de forma oportuna: alimentação, sono, atividades (controle uso de eletrônicos). Estabeleça uma comunicação eficiente e constante. Incentive a imagem de criança, lembre que suas atitudes dizem muito mais que as palavras, passe a tratar seu filho como criança e não mais como bebê.  Use a comunicação constante como uma ferramenta para incentivar a alimentação completa durante o dia e especialmente antes de iniciar a noite.

2- Pare de oferecer o peito, espere o pedido. Combinem locais e horários para as mamadas. Estabeleça um controle da demanda diurna, combinando mamadas fixas (acordar, e antes de dormir nas sonecas e sono noturno, por exemplo). Lembre que o peito é seu, e é você que define as regras de acesso.

Estabeleça limites pessoais no acesso ao seu corpo, especialmente ao seio, combinem uma forma para que o pedido de mamada seja feito de forma adequada (sem puxar a roupa nem chorar), e controle o final da mamada (contando até 10 ou cantando uma música).  Explique de forma clara e sincera as razões que fazem necessário controlar a mamada, se você está cansada de acordar a noite, está ficando com dor, ou nervosa, fale a verdade.

3- Avalie o espaço onde a criança dorme, e se preciso reconfigure o quarto. Caminha baixa, onde um adulto possa eventualmente deitar ou sentar confortavelmente para acompanhar o adormecer é ideal. Se ainda fazem cama compartilhada, é ideal que a criança tenha pelo menos seu cantinho dentro da cama familiar (um colchão separado ao lado da cama do casal). Estabeleça um novo roteiro de sono, desassociando o sono da sucção do seio, para isto retire as mamadas do quarto e incentive a higiene oral antes de dormir.

Traga novas formas de adormecer, você precisará explorar o que seu filho curte. Substitua o tempo que ficava sugando o seio por conforto físico e emocional, conversando, contando historinhas, ficando deitados juntos e fazendo carinho. Incluir o pai nesse processo de adormecer pode ser muito bom. Tenha paciência, pode demorar mais para adormecer sem sucção. Introduzir um objeto de transição, ou um objeto de segurança pode ajudar nesse processo. 

4- Caso ainda tenha mamadas de madrugada, diminua sua duração e frequência gradativamente. Implemente uma resposta progressiva nos despertares noturnos, evitando ao máximo ceder à mamada.  O começo da noite determina a resposta que daremos aos despertares, se o começo da noite foi com carícias, ao ter despertares noturnos oferece carícias, depois deitar juntinho, água e só em último caso o seio, controlando o fim da mamada da forma como combinaram durante o dia. Evite as conversas noturnas, use preferencialmente comunicação não verbal. Aprender a adormecer fora do seio é um passo essencial para conseguir o desmame noturno.

5- Escolha o momento para finalizar o desmame noturno, trazendo os novos combinados para a hora de dormir “mamar quando for hora de levantar”. Nesse ponto o manejo do choro deve estar bem estabelecido, a alimentação diurna bem balanceada, e as regras de acesso ao seu seio bem assimiladas. Um final de semana ou feriado prolongado é ideal, podem ser 2-4 noites difíceis, sua criança precisará de acolhimento físico e emocional. Use a estratégia da resposta progressiva sem chegar oferecer o seio.

6- Introduza um copo de “gente grande”. Comece oferecer o leite de consumo regular da família ou outras bebidas no copo ao longo do dia, primeiro nos lanches, depois na manhã, passando ofertar no café da manhã (é bom organizar a rotina familiar para oferecer a refeição em família) e por último lanche da noite ou ceia (lembre que é fora do quarto).  Lembre que estará ajudando a criança a se desvincular da necessidade de sucção, então não introduza chupeta ou mamadeiras nesse momento, elas só irão substituir a fonte de sucção e posteriormente você terá um novo trabalho para retirar esses bicos.

7- Despedida do seio. Façam um pequeno rito ou celebração de passagem à nova fase da criança. Pode ser a última foto, um álbum de fotos da amamentação para guardar para a posteridade, ou um encontro de gente grande com a mamãe e o papai. Nos seguintes dias acolha, reforce o quanto foi bom o tempo de amamentação, e o quanto será bom estar juntos sem precisar mamar.

Tenha paciência, ainda podem vir alguns pedidos deslocados de mamada, especialmente em situações de alto estresse. Por isso não baixe a guarda com a rotina e a comunicação constante. A criança pode querer fazer carinho na mama, dar beijinhos, ou deitar sobre seu colo. É normal, faz parte do processo, acolha e coloque seus limites pessoais, caso lhe incomode alguns desses carinhos redirecione para uma forma de carinho aceitável.


Tenha em mente que passar de uma fase para a seguinte não tem limite de tempo, deve obedecer às necessidades da criança e da mãe igualmente. Tendo a mediação da comunicação constante e ativa. Preparando a criança para cada nova fase. Durante todo o processo lembre-se de oferecer à criança aquilo que obtinha no seio, atenção emocional e contato físico.

E se no meio do caminho você decidir finalizar o desmame por completo, está tudo bem! Se você está confortável com esse novo ritmo de amamentação que encontrou no processo, fique e curta, poderá continuar com o desmame quando sentir necessidade novamente.

Talvez você perceba que na medida que novas ferramentas de comunicação, e rotina se tornam habituais, a criança sozinha começa substituir algumas mamadas por atividades. Perto do fim, podem passar vários dias sem pedir mamadas e do nada se lembrar. Quando passarem 2-3 dias sem pedidos de mamada, prepare-se para a despedida. Depois de 4-5 dias sem pedir, seu filho já não precisa mais da sucção, então se houver um pedido novamente, tente redirecionar conversando e oferecendo sua atenção e carinho sem precisar o seio.

Espero que esse conteúdo te ajude a passar com mais leveza por esse momento tão delicado na fase das mamães.

De mãe em mãe, construiremos um novo maternar!

Lá no meu Instagram (@gibelarmino_) eu sempre dou dicas praticas, acompanhe.

Deixe um comentário

Fechar Menu