You are currently viewing 15 dicas sobre a Toca da Raposa em Juquitiba, interior de SP<span class="wtr-time-wrap after-title">Tempo estimado de leitura: <span class="wtr-time-number">8</span> minutos</span>

15 dicas sobre a Toca da Raposa em Juquitiba, interior de SPTempo estimado de leitura: 8 minutos

Os passeios ao ar livre são tendência e ganharam muito espaço com a pandemia. Quando olho para trás, não consigo entender como aproveitamos tanto shoppings e tão pouco a natureza. Cada dia que pesquiso, encontro mais lugares incríveis para passear com as crianças, mas que também são ótimas experiências para adultos.

O passeio que se enquadra nessa descrição e que trago aqui hoje é a Toca da Raposa, que fica no interior de SP, em Juquitiba, há 73 km da capital paulista.

Para ilustrar as dicas, dividi em 15 itens que vão te ajudar

1. 73 km de SP, de 1h30 à 3h, depende do trânsito, 3 pedágios que somam $13/perna. O acesso é via Regis Bittencourt.  Minha dica aqui é simular no Waze qual dia da semana tem menos trânsito, de acordo com sua localização. Eu fui em julho, numa quarta-feira e reservei o passeio no horário da tarde e peguei muito trânsito no retorno.

2. A Toca é um mantenedor de animais vítimas de maus tratos e tráfico. O passeio é guiado por um instrutor que apresenta os animais da trilha (reservada antecipadamente no ato da compra do ingresso) e conta várias histórias reais, emocionantes e muitas tristes, mas que com certeza pregam muita consciência ambiental e são de grande aprendizado para todas as idades.

3. O ingresso para 3 pessoas custa R$340, sendo que crianças até 2 anos não pagam. Na compra você precisa reservar dia, turno (manhã ou tarde) e qual recanto você quer conhecer. Por conta da pandemia, existe controle de acesso e foi um dos passeios que fiz na pandemia que mais me senti segura, com protocolos sendo respeitados e sem contato com outras famílias.

4. O ingresso inclui:monitor, atividades educativas, interação c/ natureza, alimentar animais, trilha do recanto, cesta de piquenique.

5.O funcionamento da Toca: sábados, domingos e feriados e durante as férias de julho estão abertos durante a semana. Os dois períodos disponíveis para compra são: das 9:00-12:30h e 13:30-17:00h. Importante se organizar para chegar no início do horário agendado para aproveitar, os monitores são escalados conforme compra de ingresso e remanejamento não é permitido.

6. Antes da pandemia, o acesso era livre por toda Toca, mas devido às restrições da pandemia, a Toca foi dividida em 3 recantos:

  • Recanto das Aves: esse foi escolhido por nossa família e o meu preferido. Indico para crianças a partir de 2 anos, porque a trilha (o caminho para visitar os espaços onde os animais estão) tem bastante descidas e subidas, e para carregar bebê no colo, fica mais cansativo. Mas pelo contexto do recanto, é aproveitável para qualquer idade. Nesse espaço é onde ficam os macacos, araras, gavião, e tem a piscina e o parquinho.
  • Recanto do Tamanduá: como eu cheguei antes, era um dia de semana bem vazio e por sorte a família do Recanto do Tamanduá tinha remanejado, eu consegui visitar o espaço, mas na grande maioria das vezes você vai apenas no espaço que comprou ingresso. Nesse recanto tem arvorismo, torre de pneus, os animais que ficam aqui são: tamanduás e jabutis. E por toda dinâmica do espaço, eu indicaria para crianças a partir de 3 anos.
  • Recanto dos Primatas: esse espaço eu não conheci, mas pela descrição do site e de acordo com as conversas que tive com os instrutores, é aqui que fica o jardim sensorial, os animais que moram aqui são os macacos e répteis e indicaria para bebês menores de 2 anos.

7. Para quem tem bebês e crianças que usam fralda, os banheiros têm trocadores nos banheiros femininos, com papel para forrar e não tem acessibilidade. A toca fica em um terreno declive e não tem como andar com carrinhos, o ideal para ir com bebês é ter canguru ou sling ou no próprio colo.

8. Além dos recantos, a Toca da Raposo tem duas áreas que podem ser frequentadas por todos que compram ingresso que são:

  • escorregador gigante
  • espaço central

9. Os funcionários são super atenciosos, o monitor João que nos atendeu dá pra sentir o amor que ele tem pelos bichinhos, era seu 2º dia de trabalho, mas parecia que tinha nascido lá.

10. Importante dizer que, independente da minha indicação por idade, atende todas as idades, as histórias são emocionantes e aprendi um monte de coisa que não conhecia, vale a pena para adulto também. Eles têm um projeto com os índios do Xingu, onde algumas pessoas da tribo passam um tempo na Toca para receber alunos de passeios escolares. Foi nesse momento do momento da trilha que descobri que os índios assam os peixes no meio da oca, porque a gordura do peixe impermeabiliza o teto e não deixa ter vazamento de água durante as chuvas. Muito interessante, não é?

11. A Toca tem um restaurante com ótima fama, comida caseira, feita em forno a lenha, mas que está fechado, devido à pandemia. Se for visitar a Toca no turno da manhã e quiser almoçar antes de pegar a estrada, o pessoal da Toca indicou almoço na cidade no Dom Rafael na Rua João Aquino Soares, 77. Comida caseira, lugar simples, mas com funcionários atenciosos e seguindo protocolo. Na cidade não tem muita atração para fazer, a não ser rafting, Juquitiba é conhecida por esse esporte.

12. Use tênis, roupa confortável, protetor e repelente (não senti inseto, mas acho que depende de época, porque tem mata preservada e muita natureza e com certeza tem mosquitos em épocas mais quentes).

13. Leve água, como o restaurante está fechado, a caminhada conhecendo o espaço é intensa e o piquenique é feito somente no final do percurso, por volta das 11h para turno da manhã e das 16h para turno da tarde

14. A cesta de piquenique está inclusa no valor do ingresso e tem: bisnaguinha, goiabinha, suco, água, requeijão, melancia, banana, bolacha salgada, polenguinho, bolo, ovo de codorna. Se a criança não comer esses alimentos, recomendo levar lanchinhos extras no carro.

15. Importante consultar o site e o Instagram @tocadaraposa antes de ir para validar as informações que estão válidas para o momento, por conta de toda volatilidade que a pandemia nos confere.

Uma experiência diferente para criança e adulto. O que acharam?

De mãe em mãe construiremos um novo maternar

Deixe um comentário

Fechar Menu